Notícias

Pesquisa revela duas novas espécies de peixes na bacia do alto rio Tocantins - NATURATINS

Nesta segunda-feira, 22, o Governo do Tocantins se orgulha de mais uma descoberta de duas novas espécies encontradas na bacia do alto rio Tocantins, publicada em artigo científico no periódico científico Neotropical Ichthyology, no início deste mês. A pesquisa foi realizada por um grupo de pesquisadores do Departamento de Biologia e Zoologia do Instituto de Biociências da Universidade Federal de Mato Grosso e do Programa de Pós-Graduação em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais da Universidade Estadual de Maringá, em toda extensão do alto rio Tocantins e tem entre seus integrantes, o doutor em Limnologia e biólogo Oscar Barroso Vitorino Júnior da Gerência de Unidades de Conservação da Diretoria de Biodiversidade e Áreas Protegidas do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins). As espécies reveladas na pesquisa foram atribuídas ao gênero Knodus e as análises que as diferenciaram de outras espécies foram realizadas através de características morfológicas, como o número de cúspides nos dentes, o número de séries de escamas entre a origem da nadadeira dorsal e a linha lateral, o diâmetro da órbita ocular e a altura e profundidade do corpo. “A família Characidae que compreende os lambaris e piabas é uma das famílias mais ricas em espécies de peixes do mundo. Para se ter uma ideia, em um trecho do rio Tocantins, como o da UHE Lajeado, existem dezenas de espécies desta família, que embora parecidas ou até mesmo idênticas ao olho da maioria das pessoas, as análises de laboratório permitem afirmar, que são espécies diferentes, quando comparadas as dentições e outras características dos ossos do corpo dos peixes”, afirma Gabriel Deprá, pesquisador da Universidade Estadual de Maringá. Os pesquisadores batizaram as espécies em homenagem à Fundação Rufford,da Inglaterra, uma importante financiadora de trabalhos de pesquisa e conservação, no mundo todo, e que custeou a execução deste projeto. Além desta espécie Knodus rufford, no trabalho também foi batizada a espécie Knodus obolus, e a escolha do segundo nome é uma referência à bacia do rio das Almas, importante tributário do alto rio Tocantins, onde a espécie foi originalmente conhecida. “Com as duas novas espécies, o número de peixes endêmicos da bacia do alto rio Tocantins (montante da foz do rio Paranã) sobe para 53 e essa soma atinge 89 espécies endêmicas até a confluência com o rio Araguaia. Além disso, nesse estudo descrevemos um novo método mais informativo e preciso para contagem de vértebras, o que aumenta a eficácia, em comparações de espécies”, destaca Oscar Vitorino, doutor em Limnologia e biólogo do Naturatins. Em relação ao trabalho, o pesquisador enfatiza que “a elevada diversidade de peixes ainda por conhecer revela a dimensão do patrimônio biológico que os estados de Goiás e Tocantins abrigam em seus rios e o potencial que estas podem representar economicamente, na área da saúde, e outras aplicações”, realça o biólogo. “A descoberta de novas espécies no Tocantins nos oferece informações que contribuem com a gestão da conservação e preservação da biodiversidade do Estado. É o conjunto de dados sobre as riquezas naturais, a fauna, flora e do comportamento de todo ecossistema em relação à presença humana, que norteia nossas ações. As universidades e instituições de pesquisa desenvolvem um trabalho sério e assinado por especialistas comprometidos com os resultados. Incentivar a formação de redes de tecnológicas e a produção de conhecimento colabora com desenvolvimento do Estado e de múltiplos segmentos econômicos”, avalia Renato Jayme, presidente do Naturatins. O artigo foi submetido ao periódico Neotropical Ichthyology, no idioma inglês, em outubro de 2020 e publicado no dia 8 de março deste ano. O acesso a versão publicada no repositório da SBI também está disponível para consulta, no item Publicações Acadêmicas do site do Naturatins através do link http://bit.ly/3ltZCZU Pesquisadores A pesquisa foi composta pelos doutores Gabriel de Carvalho Deprá, Renata Rúbia Ota e Oscar Barroso Vitorino Júnior do Programa de Pós-Graduação em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais da Universidade Estadual de Maringá e Katiane Mara Ferreira do Departamento de Biologia e Zoologia do Instituto de Biociências da Universidade Federal de Mato Grosso. FONTE: https://naturatins.to.gov.br/noticia/2021/3/22/pesquisa-revela-duas-novas-especies-de-peixes-na-bacia-do-alto-rio-tocantins/

Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Caatinga realiza primeira reunião ordinária do ano - SEMA/CE

O titular da Secretaria do Meio Ambiente (SEMA), Artur Bruno, abriu, na tarde desta segunda-feira (22/3), a primeira Reunião Ordinária do Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Caatinga (CERBC), 2021. Na pauta, o fechamento do calendário de reuniões do ano em curso, o Prêmio Joaquim Feitosa 2020 e 2021, e o Simpósio da Caatinga. O encontro virtual contou com a participação de integrantes do CRBC, técnicos da SEMA, convidados de instituições públicas e privadas, além de representantes da academia. Outros temas de interesse do Comitê, entre eles a ampliação de unidades de conservação (UCs) e as listas de espécies da nossa fauna e flora. Para Bruno, são estratégicos. “É preciso pensar nesta agenda para suprir a carência de UCs no bioma”, disse. “E apoiar os esforços da Associação Caatinga no processo de criação da Área de Proteção Ambiental e Parque do Cânion”, completou. Também destacou o recente lançamento do Inventário da Fauna do Ceará e os estudos que estão sendo iniciados referentes à flora, lembrando o impacto positivo desse levantamento para o bioma. Antes de deixar a reunião o Secretário reforçou o cumprimento da agenda de ações do Comitê. “Não podemos parar por causa da pandemia, é importante manter o calendário desse ano e realizar a entrega da Medalha Joaquim Feitosa”, ressaltou. Em 2020 não foi possível realizar a entrega do Prêmio, devido o isolamento social, já que toda a programação foi pensada no formato presencial. “Esse ano a solenidade será virtual e reconhecemos que temos pouco tempo e um calendário extenso para cumprir”, disse Viviane Monte, representante da SEMA, no CERBC. “Nós contamos muito com o seu apoio Secretário”, afirmou. Na ocasião, Viviane lembrou as principais ações realizadas para a Semana da Caatinga 2020, como os vídeos produzidos com depoimentos de vários agraciados com a Medalha. “Com relação às novas UCs vamos discutir o tema com foco também, na ampliação de Postos Avançados da Reserva da Biosfera na Caatinga”, afirmou. Em seguida, o coordenador da reunião, Kelven Sousa, técnico da Coordenação de Biodiversidade (Cobio/SEMA) iniciou a apresentação da pauta referente às atividades que vão comemorar o Dia da Caatinga 2021, celebrado em 28 de abril. Na data será entregue a Medalha Joaquim Feitos ao agraciado de 2020, Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Ceará (pessoa jurídica) e ao de 2021. Este ainda será indicado. A inscrição para a indicação ao Prêmio Ambientalista Joaquim Feitosa estará aberta no período de 29 de março a 9 de abril, e a reunião ordinária para analisar o histórico dos indicados será dia 15 de abril. “Todos os integrantes do Comitê concordaram com os critérios anteriormente adotados para a avaliação”, que será colocado em ata.“Na escolha do agraciado, o CERBC, em reunião ordinária, analisa o histórico dos indicados de acordo com os seguintes critérios: prestação de relevantes serviços voltados à melhoria da qualidade da Caatinga; criação e implantação de projetos visando à recuperação e a conservação do Bioma; e /ou publicação de trabalhos científicos e literários na defesa e promoção do mesmo”, explicou Viviane. A Comissão Especial de Avaliação, 2021, será composta por representantes da SEMA, do IBAMA, da Embrapa, da Secretaria de Desenvolvimento Agrário e da Associação Caatinga. Comissão Especial. Como encaminhamento ficou decidido que será criado um grupo de watzap para facilitar a comunicação entre os membros do Comitê e outra reunião para definir a programação dentro da Semana da Caatinga 2021. Prêmio Ambientalista Joaquim Feitosa O Prêmio Ambientalista Joaquim Feitosa “destina-se a homenagear pessoas físicas ou jurídicas, públicas ou privadas, que no desempenho de suas ações tenham contribuído de forma relevante para o desenvolvimento sustentável do Bioma Caatinga”. A premiação é anual e, alternadamente, homenageia uma pessoa física e uma jurídica. RBCA O objetivo do CERBC é promover a conservação da biodiversidade, o desenvolvimento sustentável e o conhecimento científico do Bioma Caatinga. O Ceará foi pioneiro ao criar o primeiro Comitê Estadual da RBCA, por meio de decreto, em 2004 e a Portaria nº 98/A/2004 que nomeia os Conselheiros do Comitê. O órgão é um colegiado de apoio ao Conselho Nacional da Reserva da Biosfera da Caatinga, com caráter consultivo. FONTE: https://www.sema.ce.gov.br/2021/03/23/comite-estadual-da-reserva-da-biosfera-da-caatinga-realiza-primeira-reuniao-ordinaria-do-ano/

No Dia Mundial da Água, destaque é a preservação de nascentes - IAT/PR

Profissionais do Instituto Água e Terra e da Sanepar participaram de encontros que discutiram a conservação de nascentes como principal passo para garantir água com qualidade para a futura geração. Proposta é constituir um trabalho em conjunto para mapear e recuperar 240 nascentes de Curitiba.

Dia Mundial da Água: Lembre a importância desta data especial - SEMA/MA

O Dia Mundial da Água, comemorado todo 22 de março, foi criado em 1992 pela Organização das Nações Unidas (ONU) para refletirmos acerca da importância do recurso hídrico, uma vez que é essencial para a sobrevivência de todos os seres vivos. Além disso, é um momento para lembrar da urgente necessidade de conservação dos ambientes aquáticos, evitando poluição e contaminação. Todos os anos, essa data especial aborda um tema específico sobre a água. Em 2021, a ONU adiou o 9º Fórum Mundial da Água a ser realizado em Dakar, Senegal, para 2022, por conta do atual cenário da pandemia do novo coronavírus. O tema proposto é “Segurança Hídrica para a Paz e o Desenvolvimento”. A escolha de um dia dedicado a esse patrimônio natural do mundo, deixa clara a sua importância na vida das pessoas e no equilíbrio dos ecossistemas. Apesar de nosso planeta possuir grande quantidade de água, nem toda ela está disponível para consumo humano. Somente 2,4% da água é doce e apenas 0,02% está disponível em lagos e rios que abastecem as cidades e pode ser consumida. Nesse sentido, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA) destaca que é fundamental pensar em ações que contribuam para a preservação da água diariamente, como reutilizar esse recurso natural quando possível, não tomar banhos demorados, não jogar lixo nos rios e encostas e utilizar produtos de limpeza biodegradáveis. Assim, é possível preservar a água, garantindo que não falte no futuro. Declaração Universal dos Direitos da Água Ao instituir o Dia Mundial da Água, a ONU também divulgou a Declaração Universal dos Direitos da Água, um documento apresentando pontos importantes sobre esse recurso hídrico. Conheça os 10 principais artigos desta declaração: Art. 1º – A água faz parte do patrimônio do planeta.Art. 2º – A água é a seiva do nosso planeta. Ela é a condição essencial de vida de todo ser vegetal, animal ou humano. Sem ela não poderíamos conceber como são a atmosfera, o clima, a vegetação, a cultura ou a agricultura.Art. 3º – Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados.Art. 4º – O equilíbrio e o futuro do nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos.Art. 5º – A água não é somente uma herança dos nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores.Art. 6º – A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo.Art. 7º – A água não deve ser desperdiçada, nem poluída, nem envenenada.Art. 8º – A utilização da água implica respeito à lei.Art. 9º – A gestão da água impõe um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social.Art. 10º – O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra. FONTE: https://www.sema.ma.gov.br/p9740/

PROGRAMA DE DESPOLUIÇÃO DO RIO PINHEIROS É DESTAQUE NA ABERTURA DE EVENTO SOBRE O DIA MUNDIAL DA ÁGUA - SIMA/SP

Lançamento do sistema de monitoramento das obras, anunciado pelo secretário Marcos Penido, ressalta a importância da transparência do projeto

Uma semana inteira de programação especial para comemorar o Dia Mundial da Água - SEMAS/PE

  Uma série de atividades ambientais será promovida, desta segunda (22) até a sexta-feira (26), por meio de plataformas digitais. A Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas/PE), em parceria com a Agência Ambiental CPRH, colocará no ar uma programação especial para comemorar o Dia Mundial da Água, celebrado em 22 de março. Haverá debates, webinário, exibição de vídeos, além de lançamentos de livro e audiolivro. A semana será aberta, na segunda, às 9h, com o anúncio de novas ações do Governo de Pernambuco para garantir a disponibilidade hídrica no Estado. “A água é um bem essencial para a vida no planeta. Por isso, é tão importante garantir a disponibilidade dela em quantidade e qualidade suficiente para todos. Isso passa pela conservação das nossas nascentes, mananciais, matas ciliares, reflorestamento de áreas degradadas e também do uso sustentável da água. Queremos que as atividades sejam ponto de partida para uma verdadeira reflexão e mudança de comportamento nas pessoas, levando o tema para o cotidiano e fazendo a diferença no seu próprio espaço”, diz o secretário de Meio Ambiente de Pernambuco, José Bertotti. Com transmissão simultaneamente nas redes sociais da Semas/PE, CPRH e dos parceiros da iniciativa, a programação conta com três bate-papos ao vivo. O primeiro é o webinário “Dia da Água – Uma abordagem sobre a bacia do Una: Reflexões e proposições quanto ao seu potencial socioeconômico e ambiental”, na quarta (24), às 10h. Participam da atividade o secretário da Semas, José Bertotti; o prefeito de São Bento do Una, Alexandre Batité; representante da Fundação Ipojuca, Joseriel Inácio da Silva; secretário de Desenvolvimento Rural, de São Bento do Una, Marthony Santana; e o poeta Expedito Valença. Já na quinta (25), às 9h, acontece o debate “Perspectivas da Segurança Hídrica e o impacto na vida das mulheres no Semiárido”. Será um diálogo com representantes das organizações não governamentais: centro Sabiá, Fetape, Diaconia e Rede de Mulheres Produtoras do Pajeú. O último bate-papo ao vivo ocorre, na sexta (26), às 14h, junto com o Espaço Ciência. Trata-se do debate “Ambientes estuarinos em Pernambuco: o encontro das águas”, com a presença de Andréa Olinto, gerente de Política Costeira da Semas; Elba Borges, técnica Ambiental da CPRH; e José Lúcio Abissal, engenheiro de pesca do Espaço Ciência. “É uma semana em que a nossa atenção está voltada, de forma especial, para os recursos hídricos. Mas, o tema faz parte do cotidiano da CPRH, tanto nas ações de fiscalização, do licenciamento, da educação ambiental e do monitoramento, como pode ser visto, por exemplo, na série de cinco vídeos que vamos divulgar ao longo desta Semana da Água. Sabe-se que sem água não há vida. Então, proteger e trabalhar em prol dos recursos hídricos é proteger a própria vida e a vida de cada ser”, frisou o presidente da CPRH, Djalma Paes. Durante toda a semana, sempre às 15h, também será apresentada uma série de vídeos sobre monitoramento dos rios de Pernambuco, produzida pela CPRH. Destaque ainda para o Lançamento do audiolivro “Quem vai salvar o rio?”, na terça-feira (23), e do livro em forma de quadrinhos “Quero meu rio de volta”, dos autores Newton Antas e Edenia Amaral; na quinta (25), à tarde. A programação será transmitida pelos canais da Semas e CPRH no YouTube, Facebook e Instagram. Os diálogos ao vivo serão transmitidos apenas nas duas primeiras redes sociais. Serviço O que: Uma semana inteira de programação especial para comemorar o Dia Mundial da ÁguaQuando: 22 a 26 de março de 2021.Onde:Youtube/SemasPernambucoYoutube/CPRHFacebook/SemasPEFacebook/CPRHPEInstagram: @oficialsemaspe / @cprh.pe Programação 22.03 (Segunda): 9h – Governo de Pernambuco lança projetos para garantir a disponibilidade hídrica no Estado. 15h – Vídeo – monitoramento dos rios de Pernambuco 23.03 (Terça): 12h – Lançamento – audiolivro “Quem vai salvar o rio?” 15h – Vídeo – Coleta de amostras de água 24.03 (Quarta): 10h – webinário – Uma abordagem sobre a bacia do Una: Reflexões e proposições quanto ao seu potencial socioeconômico e ambiental 15h – Vídeo – Análise laboratorial da água 25.03 (Quinta): 09h – debate – Perspectivas daSegurança Hídrica e o impacto na vida das mulheres no Semiárido do Brasil 12h – Lançamento – história em quadrinhos “Quero meu rio de volta”15h – Vídeo – Avaliação da qualidade da água 26.03 (Sexta): 10h – Vídeo de Meditação guiada – “meditando com a natureza” 14h – debate – Ambientes estuarinos em Pernambuco: o encontro das águas15h – Vídeo – Utilização dos dados de qualidade da água FONTE: https://semas.pe.gov.br/uma-semana-inteira-de-programacao-especial-para-comemorar-o-dia-mundial-da-agua/

Naturatins destaca parcerias e plano para unidades de conservação no Comitê do Fogo - TOCANTINS

O Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) participou do primeiro encontro do Comitê do Fogo, nesta quarta-feira, 17, em reunião virtual, e na oportunidade destacou a importância das parcerias, manutenção das equipes brigadistas, bem como do trabalho preventivo, sensibilização por meio da ampla divulgação, fiscalização e obtenção de dados para direcionamento da gestão do manejo do fogo nas Unidades de Conservação (UCs). A Defesa Civil pontuou que as ações positivas de combate aos incêndios florestais realizadas em 2020 serão melhoradas e reaplicadas no Tocantins, este ano. A afirmação é do Comitê do Fogo, que iniciou as atividades de 2021, com a reunião para tratar sobre o tema e avaliar as ações que mais deram certo no ano passado. “Entendemos que o ano passado foi muito positivo em termos de resultados no combate ao fogo. Este ano, a proposta é aprimorar ainda mais algumas ações, a exemplo do aceiro negro, que era apenas um plano piloto no trecho entre Palmas e Lajeado”, adiantou o tenente-coronel Erisvaldo Alves, coordenador-adjunto da Defesa Civil Estadual, que coordena o Comitê do Fogo. O presidente do Naturatins, Renato Jayme, acompanhou as explanações no Comitê. E após a reunião reiterou que “o Naturatins propõe a continuidade das parcerias e vamos manter nossos brigadistas, o uso dos recursos tecnológicos e as equipes de fiscalização. Como aponta o relatório da Defesa Civil, a estratégia adotada nos permitiu manter a média de resultados positivos em relação às Unidades de Conservação”, destacou Renato Jayme, presidente do Naturatins. “Neste ano, estamos formando um grupo de trabalho para discutir a aplicação de fogo, com a queima prescrita, nas UCs estaduais e estudar uma proposta de viabilidade de pesquisa sobre o comportamento do fogo, entre outros aspectos, uma vez que, os dados serão informações significativas para gestão do manejo e demais atividades, conforme o bioma e o comportamento do clima local. Então, além do Naturatins, já convidamos uma representação quilombola [Coordenação Estadual das Comunidades Quilombolas do Tocantins - COEQTO], o MPE [Ministério Público Estadual], o ICMBio [Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade], o CEMAF [Centro de Monitoramento Ambiental e Manejo do Fogo] e a Defesa Civil Estadual, para compor o grupo”, adiantou Warley Rodrigues. “O trabalho de conscientização é muito importante antes do período crítico de estiagem. Deixo a sugestão de reforço na distribuição do material oficial, aos órgãos integrantes do Comitê, para que possamos contribuir com a ampla divulgação da mensagem que precisa chegar à população”, reiterou Eliandro Gualberto, diretor de Proteção e Qualidade Ambiental do Instituto. Durante a reunião, a Agência Tocantinense de Transportes e Obras (Ageto), se colocou à disposição para colaborar com a ação de aceiros, priorizando as equipes das residências no Estado, com máquinas específicas. Em seguida, o tenente-coronel Adenir Fernandes Nogueira, Comandante do 22º Batalhão de Infantaria, confirmou a disposição do Exército Brasileiro com a Operação Verde Brasil nas atividades preventivas. E nesse sentido, a Defesa Civil Estadual adiantou que pretende executar os Cursos de Formação de Brigadas Municipais, ainda no mês de março. Por esse motivo, houve a recomendação para que as Prefeituras definam a contratação dos brigadistas. Com objetivo de aprimorar o trabalho do Comitê do Fogo, o Plano de Ação foi apresentado e todos terão um prazo para alteração, segundo o tenente-coronel Erisvaldo Alves. A Semarh informou que algumas ações serão implementadas, em março e abril. E a diretora de Instrumentos de Gestão Ambiental da Semarh, Marli Santos, disse que serão contratados 80 brigadistas para atuar nas unidades do Corpo de Bombeiros Militar. Doação ao Comitê Após a abertura dos trabalhos do Comitê, o comandante geral do Corpo de Bombeiros Militar e coordenador Estadual da Defesa Civil, coronel Reginaldo Leandro da Silva, recebeu em seu gabinete a doação de um drone. E afirmou que o compromisso é com a diminuição da quantidade de focos de incêndios florestais e também conta “com a colaboração de todos os produtores rurais, de cada morador, de cada cidadão”, enfatizou. A Energisa, concessionária de energia elétrica, que já contribuiu com uma série de equipamentos para o combate ao fogo no Tocantins. E o diretor de Relações Institucionais da Energisa, Alan Kardec, disse que “a empresa é tão vítima dos focos de incêndio quanto os cidadãos” e entregou o drone ao Comitê. Relatório do MPE Com um relatório de áreas queimadas no Estado, em 2020, o Ministério Público estadual apontou que houve cerca de 2.442.408 hectares de vegetação queimados no Tocantins, sendo 45,77% desse total em imóveis rurais. Em seguida as terras indígenas, com 649.849 hectares, correspondentes a 26,61% do total. A incidência nas UCs federais e estaduais, juntas, somavam 27,65% da área total, e 17,29 % da incidência do fogo ocorreu em áreas não identificadas, nas bases de dados disponíveis. FONTE: https://naturatins.to.gov.br/noticia/2021/3/18/naturatins-destaca-parcerias-e-plano-para-unidades-de-conservacao-no-comite-do-fogo/

Governo do Estado envia duas aeronaves para combate a incêndio no sul da Bahia - SEMA

O Governo do Estado atua no combate ao incêndio de grandes proporções que atinge a reserva indígena da Aldeia Velha, em Arraial D'Ajuda, distrito de Porto Seguro, no sul da Bahia. Por meio da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema), foram disponibilizadas duas aeronaves Air Tractor, do Programa Bahia Sem Fogo, para dar suporte aos mais de 20 bombeiros militares, que estão atuando diretamente para debelar o fogo, com o reforço e apoio de brigadistas do Prevfogo/Ibama, além de servidores do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), da Prefeitura de Porto Seguro e voluntários. Os bombeiros militares utilizam no combate três pick ups, trator com retroescavadeiras, máquinas patrol e caminhão pipa, para abastecimento das bolsas costais. Ainda não há informações sobre as causas do incêndio e o tamanho da área atingida. O fogo ocorre em área de charco aproximando-se de floresta característica da Mata Atlântica, com presença de fumaça densa. Com a dificuldade de acesso ao local, e avanço das chamas, foi constatada a necessidade de utilização de helicóptero - para deslocamento dos combatentes para os focos de incêndio; e de aeronaves estilo Air Tractor - para combate direto ao incêndio com o equipamento Bambi Bucket. Bahia Sem Fogo - Criado em 2010 para tornar mais efetivas as ações de prevenção, combate e monitoramento a incêndios no estado, oferecendo infraestrutura e logística adequadas. O Bahia Sem Fogo é coordenado pela Sema, que integra e coordena o Comitê Estadual de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais da Bahia. Canais de denúncia A qualquer sinal de incêndio, a população deve ligar para o 193. As denúncias de queimadas ilegais e outros crimes ambientais podem ser feitas pelo telefone 0800 071 1400 ou pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. document.getElementById('cloakbf610c614096179829f04b2eaf942a23').innerHTML = ''; var prefix = 'ma' + 'il' + 'to'; var path = 'hr' + 'ef' + '='; var addybf610c614096179829f04b2eaf942a23 = 'denuncias' + '@'; addybf610c614096179829f04b2eaf942a23 = addybf610c614096179829f04b2eaf942a23 + 'inema' + '.' + 'ba' + '.' + 'gov' + '.' + 'br'; var addy_textbf610c614096179829f04b2eaf942a23 = 'denuncias' + '@' + 'inema' + '.' + 'ba' + '.' + 'gov' + '.' + 'br';document.getElementById('cloakbf610c614096179829f04b2eaf942a23').innerHTML += ''+addy_textbf610c614096179829f04b2eaf942a23+''; , diretamente nos balcões do Inema, na sede ou nas Unidades Regionais do órgão. FONTE: http://www.meioambiente.ba.gov.br/2021/03/12148/Governo-do-Estado-envia-duas-aeronaves-para-combate-a-incendio-no-sul-da-Bahia.html

Servidoras do Naturatins expressam seu olhar sobre a carreira profissional na área ambiental no Dia Internacional da Mulher - TO

Nesta segunda-feira, 8, Dia Internacional da Mulher, servidoras de diferentes setores do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) aceitaram o convite, para participar de uma forma especial de prestar homenagem à todas as mulheres, com a dedicação de um relato que revela seu ponto de vista, sobre a atuação nas suas respectivas carreiras profissionais, dedicada à área ambiental do Estado. Neste ano, cada participante foi convidada a expressar o seu olhar voltado para a própria experiência, com abordagem de livre escolha, desde o relato de um momento que marca sua trajetória à sentimentos que acreditam fazer a diferença para alcance de uma carreira de sucesso. “Ser bióloga foi a minha escolha de vida e dentre as várias possibilidades da biologia eu escolhi a área de meio ambiente. Minha carreira profissional é toda pautada na conservação da biodiversidade e no Tocantins eu tive a oportunidade de trabalhar fortemente com esse tema. O Estado do Tocantins tem um território com uma biodiversidade imensamente rica, tanto no bioma Cerrado, como no remanescentes da Floresta Amazônica. E criou três Unidades de Conservação, dentre as quais eu tive o prazer de fazer parte do processo de criação de duas dela, o Parque do Cantão e do Jalapão, onde trabalhei por alguns anos”, avalia Angélica Beatriz Gonçalves, bióloga da Diretoria de Biodiversidade e Áreas Protegidas do Naturatins e coordenadora do Centro de Interpretação Ambiental (Ciamb). “A experiência de lidar com esses instrumentos de conservação foi única na minha vida, em minha carreira. É claro que eu encontrei dificuldades, sendo mulher, liderar trabalho em campo, tem seus desafios. Mas nada que a imensidão do Cerrado, o pôr do sol e um bom resultado no diálogo com as comunidades não compense. Houveram várias situações marcantes no trabalho em campo, com as pessoas, com a natureza, com a riqueza da diversidade de ambientes, mas sempre fica em minha lembrança o amanhecer vendo botos, na imensidão do Rio Araguaia, no Cantão ou admirando a vastidão do Cerrado no Jalapão, avistando o lobo guará nos campos. Foram experiências únicas que, só vivencia quem está no campo e lida com a natureza, eu tive esse privilégio e sou muito grata por isso!”, recorda com emoção, Angélica Beatriz. “Nesse dia tão especial, me sinto extremamente grata, por ser uma, entre milhares de mulheres que buscam igualdade e lutam sempre pelos seus direitos. No setor de licenciamento não é diferente, vejo a luta e perseverança para fazermos a diferença, buscando sempre alcançar as metas. Amo muito essa profissão que trata da exploração e do uso dos recursos naturais promovendo o desenvolvimento sustentável. E juntas somos mais fortes, para trabalhar com dedicação e força de vontade!”, afirma Larissa Uchôa, engenheira Ambiental da Diretoria de Gestão e Regularização Ambiental do Naturatins. “Trabalhar com biodiversidade, em especial com Unidades de Conservação, é uma jornada cheia de desafios. Sempre estamos diante de um novo olhar e durante a atuação em campo vivenciamos novas experiências, o que me faz crescer como profissional e como pessoa! Especialmente no Dia da Mulher a sociedade é lembrada dos muitos desafios enfrentados por muitas mulheres diariamente, em busca de respeito, reconhecimento e espaço. Todo dia, ao superar essas questões, nos tornamos mais fortes! Feliz Dia da Mulher!”, enfatiza Priscila Rosa, turismóloga da Gerência de Unidades de Conservação do setor de Biodiversidade do Instituto. “A presença de uma mulher numa equipe de fiscalização completa o trabalho. Observadora, sensível ao que se passa ao redor, desenvolve bem o diálogo e em diversas situações funciona como instrumento pacificador. Temos habilidade para relembrar fatos e relatar na forma escrita. Organizamos não somente as ideias, mas o espaço onde vamos desenvolver o trabalho, seja no escritório ou em campo. Comemorar o dia da mulher é reconhecer o valor de sua singularidade e a capacidade de se reinventar diante das adversidades”, afirma Michele Santos Feitosa, fiscal Ambiental da Gerência de Fiscalização da Diretoria de Proteção e Qualidade Ambiental do Naturatins, que complementa. “Eu nunca imaginei que trabalharia em atividade de campo, ao lado da força aérea brasileira em sobrevoo de helicóptero, durante a fiscalização de combate ao fogo nos municípios de Palmas e do entorno. Foi uma experiência muito gratificante e principalmente pelo fato do profissionalismo da equipe, ao qual só tinha eu de mulher, em reconhecer e valorizar a atividade específica de cada um naquela ocasião”, destaca um momento marcante. “No meu ponto de vista, esse é o momento de lembrar das vitórias e conquistas que alcançamos ao longo da história. Há mais de 20 anos sou assistente Social e educadora Ambiental no Naturatins. Eu atuo em defesa do meio ambiente a partir da sensibilização do uso consciente e sustentável dos recursos naturais do Estado. Em nossa rotina, nós mulheres desenvolvemos múltiplos papéis, desde esposa, amiga, mãe à profissional de diferentes áreas”, reforça Maria Alice Santos dos Reis, educadora Ambiental da Gerência de Suporte ao Desenvolvimento Socioeconômico do setor de Biodiversidade da Pasta. “Como servidora ambiental, além de bons resultados, a gente espera sempre ter a garantia dos direitos e a valorização das ações que desenvolvemos. Ao longo do tempo tive o privilégio de acompanhar avanços e o alcance do sucesso. Uma das ações que me orgulho é a Agenda Ambiental do Naturatins – A2N, que busca incentivar a redução do consumo e a reflexão sobre os recursos naturais disponíveis, ao público interno e externo. Lidamos com pessoas e tenho lembranças de momentos muito especiais, difícil eleger”, relata com satisfação Maria Alice. “Sou mãe, tenho duas filhas lindas e sou muito grata pela igualdade, respeito e parceria da minha equipe de trabalho. A maioria das mulheres que se dedicam a uma carreira profissional, enfrentam jornada dupla, pois quando encerram seu expediente, seguem para os compromissos da família ou estudos. Na área ambiental não é diferente, temos inúmeras profissionais com carreira admirável e merecedoras dos nossos cumprimentos. Toda carreira tem seus desafios, estar à frente exige grande responsabilidade e o trabalho em equipe nos dá a segurança de estarmos no caminho certo. Me fortaleço sempre na fé em Deus, é preciso ser forte e corajosa! Feliz Dia de todas nós!". Conclui com carinhosas felicitações, Priscila da Costa Carneiro, diretora da Agência Regional do Naturatins em Gurupi. “Tenho um filho lindo, ele tem oito anos e para mim, ser mãe é carregar no corpo o dom da criação, a dádiva da vida, e no coração, um amor que não conhece limites. Na palavra, sempre encontro a melhor orientação e tenho como referência, para o meu desempenho profissional, o trecho que diz, que devo tratar os que estão sob minha liderança, como gostaria de ser tratada. A dedicação profissional ao setor de Recursos Humanos exige habilidades não só com as questões administrativas, mas também humanas. É preciso amar as pessoas, saber ouvir e ter vontade de aprender a todo momento”, nos conta Suzan de Sousa Milhomem Alonso, gerente de Recursos Humanos do Naturatins. “Sou apaixonada pela minha área de atuação, me sinto realizada. É minha missão de vida, essa certeza me faz crescer e ser uma pessoa melhor a cada novo dia. Sou convicta da escolha que fiz, atuo com propósito e sempre que possível sou voluntária, não me imagino em outra área. Outro dia, a frase de um autor me chamou a atenção, não recordo o nome agora dele agora, mas dizia, ‘Não deixe que alguém saia da sua presença, sem se sentir melhor e com mais fé’, uma mensagem forte e desde então, carrego comigo e compartilho”, completa Suzan Alonso. “A presença da mulher no atendimento ambiental tem muita receptividade, atuamos com profissionalismo, igualdade e contamos com uma equipe muito unida. A profissional dessa área agrega valor ao perfil de acolhimento que o contato com o público exige. Todos os dias, além do conhecimento do fluxo correto para as demandas de cada setor, exercemos a empatia, a capacidade de se colocar no lugar do público que busca os nossos serviços. Além dessa compreensão, sou apaixonada pelo meio ambiente, guardo muitas lembranças da vivência com os colegas, pois há 22 anos acompanho o órgão”, conta Silma Narciso Amaral, atendente ambiental da Gerência de Atendimento e Análise Técnica do Naturatins. “Vi muitas sementes serem plantadas e para evoluir, todo setor enfrenta dificuldades até que se estabeleça e alcance o sucesso. Eu tive a satisfação de fazer parte e acompanhar o crescimento do atendimento ambiental. Conquistei meu espaço e tenho orgulho da minha carreira profissional. Acreditar no nosso potencial e na importância do nosso trabalho é essencial para renovar o ânimo e melhorar não só como profissional, mas como pessoa, todos os dias”, finaliza Silma Amaral. “Desde a Grécia antiga temos registros do acesso da mulher aos estudos, apesar de ter ocorrido por um longo período de forma segregada. No século XX surgiram muitas lutas mundo afora, para possibilitar a produção de suas obras, com materiais como o aço e o concreto, utilizados na construção civil. O mundo se apresentava masculino e demasiadamente hostil, para as arquitetas, no início do século passado, mas elas o enfrentaram e mostraram seus talentos. Atualmente, apesar da quebra de muitos paradigmas, ainda existem inúmeros desafios na carreira de arquitetas e urbanistas, profissão que eu escolhi há 28 anos”, afirma Nilza Verônica Amaral, arquiteta da Assessoria Técnica de Planejamento do Naturatins. “Um estudo do Conselho aponta ainda muitos obstáculos para sobrevivermos no mercado. É uma relação perversa, eu diria, principalmente com a maternidade, o assédio moral e sexual, a discriminação de cor e gênero. Hoje, ainda vejo o predomínio masculino, mas seguimos, somos capazes de exercer nossa profissão, em diversas áreas. Somos inteligentes, idealistas, colocamos sentimento nas obras, mas sobre tudo, somos profissionais. Nos debruçamos em projetos madrugadas afora, com soluções sustentáveis para melhoria da qualidade de vida. E somos muitas! Mulheres dispostas a transformar ambientes projetados, em lugares melhores de se viver. Enfrentar a desvalorização profissional, a exclusão nas tomadas de decisão e poder, a divisão do trabalho por gênero, será sempre um desafio. Mas isso não nos intimida, somos capazes de muito e, de quebra, transformamos o mundo”, conclui Verônica Amaral. A diretora da Agência Regional do Naturatins em Araguaína, Lorena Alves Nunes Batista destaca que o trabalho a frente da Agência do Naturatins em Araguaína demanda uma presença firme e atuante. "É imprescindível o atendimento ao público que nos procura para assuntos de licenciamento e fiscalização ambiental. A diretoria é responsável por organizar rotinas administrativas, distribuir processos, motivar os servidores e atender às demandas advindas de denúncias de crimes ambientais. Temos muitos desafios no dia a dia, e o fato de ser mulher, buscando igualdade e respeito no mercado de trabalho, me motiva muito mais a desempenhar meu papel de forma eficiente e positiva". A diretora também relata importância de atuar nesta área. "O meio ambiente é uma pauta extremamente importante e deve ser evidenciada cada vez mais, considerando que a população cresce de forma exponencial, enquanto os nossos recursos naturais são limitados. Devemos olhar para a natureza de forma especial, pensando que as gerações futuras, dependerão de nossas ações e do cuidado com o planeta". O Naturatins em nome de todos os seus servidores cumprimenta a todas as mulheres por suas conquistas ao longo dos anos e deseja que todos possam gozar de saúde, para que em breve, celebrar essa e muitas outras datas especiais, com o calor humano dos encontros presenciais. FONTE: https://naturatins.to.gov.br/noticia/2021/3/8/servidoras-do-naturatins-expressam-seu-olhar-sobre-a-carreira-profissional-na-area-ambiental-no-dia-internacional-da-mulher/

Tocantins possui reservas particulares criadas para conservação de patrimônios naturais - NATURATINS

Nesta sexta-feira, 5, é celebrado o dia da Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), Unidade de conservação (UC) de iniciativa voluntária, domínio privado e uso sustentável, que tem o objetivo de conservar a diversidade do ecossistema local, sem afetar a titularidade do imóvel. Atualmente, o Tocantins possui dez importantes áreas dedicadas a esse tipo de UC, de acordo com os registros do Ministério do Meio Ambiente (MMA), localizadas em propriedades dos municípios de Abreulândia, Almas, Aurora do Tocantins, Dianópolis, Lagoa da Confusão, Palmas e Pium. Além de contribuírem com a reserva de áreas protegidas do país, essas áreas de propriedade preservada podem cooperar com o desenvolvimento de pesquisas científicas, entre outros. A RPPN tem benefícios como, isenção do ITR – Imposto Territorial Rural, prioridade na análise dos projetos pelo Fundo Nacional do Meio Ambiente (FNMA/MMA), bem como possibilidade de firmar cooperação com entidades privadas e públicas na proteção, gestão e manejo da unidade. “A importância das RPPN envolve inúmeras vantagens ambientais e para o desenvolvimento de uma região. Além de ser uma área protegida de forma particular, ou seja, uma iniciativa voluntária do proprietário, a criação da área agrega valor ambiental à propriedade e gera benefícios que vão desde a isenção do ITR da área ao fomento de atividades e empreendimentos sustentáveis, com ganhos ambientais gigantescos e imensuráveis ainda em crescimento no Estado”, afirma Gilberto Iris Souza de Oliveira, gerente das Unidades de Conservação do Naturatins. O doutor em Limnologia e biólogo do Naturatins, Oscar Vitorino Jr destaca o potencial de produção de conhecimento desse tipo de reserva. “As RPPN do Tocantins são unidades de conservação privadas, que contribuem imensamente com a preservação ambiental e tem capacidade de cooperar com a ampliação do conhecimento científico voltado para os recursos naturais e genéticos, abrigados nestas áreas protegidas do Estado. São áreas fundamentais ao desenvolvimento sustentável e vale ressaltar o papel primordial dos proprietários rurais que têm essa iniciativa. Eles vão além das áreas de preservação permanentes e reservas legais, sendo um incentivo à adoção de outros proprietários à essa categoria de unidade de conservação”, enfatiza Vitorino Jr. No Tocantins, o trâmite de processo para a criação de uma reserva particular do patrimônio natural estadual, se tornou possível somente a partir do Decreto nº 4.750/2013. Desde então, a solicitação da criação RPPN estadual pode ser encaminhada ao Naturatins. Entre os benefícios ambientais de uma RPPN, que contribui com a prestação de serviço de conservação, também se destaca a preservação de belezas cênicas e de ambientes históricos. Esse tipo de unidade de conservação, além da cooperação científica, permite o fomento do ecoturismo, da proteção de recursos hídricos, recursos naturais e equilíbrio climático, a criação de projetos e participação em editais nas áreas ambientais. É importante salientar, que as atividades recreativas, turísticas, de pesquisa e de educação nesse tipo de UC são permitidas mediante autorização do órgão ambiental responsável pelo seu reconhecimento. Curiosidades Tanto pessoa física, como jurídica, proprietárias de imóveis rurais ou urbanos, com potencial para conservação da natureza, pode criar uma RPPN, pois não existe tamanho mínimo ou máximo para criação de uma unidade. Nessas reservas são permitidas atividades científicas e visitação com objetivos turísticos, recreativos e educacionais, conforme previsto no seu plano de manejo. Em todo caso é o laudo de vistoria técnica realizado no processo de criação da Reserva, que define se a área proposta tem ou não atributos para o seu reconhecimento. Essas áreas podem ainda ser doadas, herdadas, hipotecadas, vendidas ou desmembradas, contudo, permanece a perpetuidade do caráter de reserva particular. O novo dono recebe todos os ônus e obrigações descritos no Artigo 21, da Lei do SNUC – Sistema Nacional Unidades de Conservação da Natureza, e no Decreto Federal nº 5.746/2006, que regulamenta as RPPN. Não é necessário estudos preliminares para a criação desse tipo de reserva, mas caso a propriedade possua esse documento, ele pode contribuir com o enriquecimento da proposta de criação. A área pode incidir total ou parcialmente a reserva legal da propriedade uma vez que são mais restritivas. Essas e outras curiosidades a respeito de RPPN podem ser encontradas no livro, com acesso virtual, Perguntas e Respostas sobre Reserva Particular do Patrimônio Natural - RPPN (2014), lançado pelo Ministério do Meio Ambiente, por meio do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Histórico As Unidades de Conservação se dividem em dois grupos, que somam doze categorias. Onze dessas categorias são atribuídas às UC gerida pelo poder público nos âmbitos federal, estadual e municipal; e uma pela iniciativa privada, que são as RPPN. As RPPN foram criadas por meio do Decreto nº 98.914/1990, posteriormente substituído pelo Decreto nº 1.922/1996, com a regulamentação da criação e manejo por meio do Decreto nº 5.746/2006, se tornou a primeira categoria de UC de uso sustentável regulamentada por decreto após o SNUC. O Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza - SNUC foi instituído por meio da Lei nº 9.995/2000, que estabelece critérios e normas para a criação, implementação e gestão das unidades de conservação. O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade é um órgão ambiental do Governo Federal, criado pela Lei nº 11.516/2007, como autarquia vinculada ao Ministério do Meio Ambiente (MMA) e integra o Sistema Nacional do Meio Ambiente (Sisnama). O ICMBio é responsável por propor, implantar, gerir, proteger, fiscalizar e monitorar as unidades de conservação instituídas pela União. E tem a função de executar as políticas de uso sustentável dos recursos naturais renováveis e de apoiar o extrativismo e as populações tradicionais nas UC federais de uso sustentável.   FONTE: https://naturatins.to.gov.br/noticia/2021/3/5/tocantins-possui-reservas-particulares-criadas-para-conservacao-de-patrimonios-naturais/

Operação integrada do Naturatins e BPMA registra apreensão de mais de 2mil metros de rede no fim de semana - TO

Ao longo do fim de semana, equipes do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) e do Batalhão de Polícia Militar Ambiental do Tocantins (BPMA-TO) realizaram mais uma rodada de operações integradas e simultâneas de norte a sul do Estado. Em Palmas, Araguaína e Gurupi foram registradas apreensões que somam 2.250 metros de rede emalhar, 20 boias, 30 pindas, 30 metros de espinheis, 3 kg de pescados diversos, 01 arma de fogo (espingarda de fabricação caseira), além da soltura de 18 tartarugas encontradas presas nas redes. Com a publicação da Portaria/Naturatins nº 46/2021, no Diário Oficial desta segunda-feira, 1, o Governo do Tocantins prorrogou por mais 30 dias o período de defeso em todo o território tocantinense. De acordo com o diretor de Proteção e Qualidade Ambiental do Naturatins, Eliandro Gualberto, devido ao extenso período de estiagem, “o período da piracema foi prorrogado, uma vez que a equipe técnica considerou apropriado ampliar o intervalo de reprodução para recomposição das espécies da ictiofauna do Estado”, pontuou. Cândido José dos Santos Neto, gerente de fiscalização do Instituto adianta que “as operações integradas de fiscalização foram intensificadas ao longo do período e serão mantidas durante a prorrogação da Piracema, que permanece vigente até o próximo dia 30 de março”, assegurou. São parceiros do Naturatins nas ações de fiscalização integrada Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Marinha do Brasil (Capitania Fluvial Araguaia-Tocantins), Instituto Brasileiros de Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Ministério Público Estadual (MPE), Delegacia Especializada de Repressão à Crimes Contra o Meio Ambiente e Conflitos Agrários (Demag), Fundação Municipal do Meio Ambiente de Palmas, Guarda Metropolitana Ambiental de Palmas, Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Tocantins (Adapec) e Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh). Canal de Denúncia O Naturatins disponibiliza o canal de denúncia Linha Verde para que a população possa ajudar a coibir crimes ambientais, especialmente no que se refere à pesca ilegal. O registro pode ser feito de forma anônima e gratuita via internet, no site naturatins.to.gov.br, por meio do link Linha Verde, ou pelo telefone 0800 063 1155. Acesse Portaria Naturatins nº 46/2021, que prorroga o período da piracema fixado pela Portaria/Naturatins nº 124/2020. FONTE: https://naturatins.to.gov.br/noticia/2021/3/2/operacao-integrada-do-naturatins-e-bpma-registra-apreensao-de-mais-de-2mil-metros-de-rede-no-fim-de-semana/

Inventário da Fauna Cearense lista 1.287 espécies em todo o Estado - SEMA

  Mais de 230 participantes – entre representantes de entidades, pesquisadores, ambientalista e estudantes – acompanharam, nesta sexta (26), à tarde, a solenidade virtual que marcou o lançamento do Inventário da Fauna do Ceará, primeiro produto do programa Cientista Chefe Meio Ambiente, da Secretaria do Meio Ambiente (SEMA) e da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace), após o seu lançamento, em 4 de setembro de 2020. O evento online foi transmitido pelo canal do YouTube da SEMA, que superou a marca dos mil inscritos. O Inventário foi elaborado pelos seguintes cientistas pesquisadores: Dra. Diva Nojos, da UFC (répteis); Dr. Hugo Fernandes Ferreira, da Uece (mamíferos terrestres); Dr. Daniel Cassiano, da Uece (anfíbios); Dr. Jorge Botero, da UFC, (peixes de água doce); Dr. Vicente Faria, da UFC (peixes marinhos); Dr. Weber Girão, da Aquasis (aves); Dr. Vitor Luz, da Aquasis (mamíferos marinhos). Na SEMA, contou o apoio da médica veterinária Thaís Câmara Tavares, da Coordenadoria de Proteção e Defesa dos Animais (COANI). Na abertura, o professor Marcelo Soares, que está à frente da equipe Cientista Chefe do Meio Ambiente, junto com os professores Eduardo Barros e Renan Guerra, destacou as parcerias com entidades e com os cientistas responsáveis. O professor Hugo Fernandes Ferreira foi responsável pela apresentação do Inventário. Ele explicou que há pesquisas sobre a fauna cearense que remontam o século XVI, registrando o nome de naturalistas como Dias da Rocha – “o maior do Ceará” – e Melquíades Pinto Paiva. “A ideia do inventário surgiu após a demanda do Livro Vermelho, com a lista de espécies ameaçadas. A partir daí, reunimos informações para formalizar o Inventário”, informou Hugo. O Inventário listou 140 mamíferos (115 continentais e 25 marinhos), 443 aves, 133 répteis, 57 anfíbios e 502 peixes (400 marinhos e 102 continentais), num total de 1.287 espécies de animais no Ceará. Em seguida, o reitor Hidelbrando Soares, da Uece, elogiou a ideia original e inovadora do Cientista-chefe, que está “realizando um trabalho único no Brasil, unindo universidade e poder público para prestar o melhor serviços à população cearense”. Glauco Lôbo, vice-reitor da UFC, lembrou dos animais extintos e da importância da iniciativa no aspecto da preservação. Luiz Drude, da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), e que também representou a Secretaria de Ciência e Tecnologia (Secitece), disse que “o que chama a atenção, além da quantidade de pesquisas científicas produzidas no Ceará, é também a qualidade, alcançando publicações de todo o mundo”. Carlos Alberto Mendes, Superintendente da Semace, aproveitou para destacar as negociações avançadas com o Ibama para Centro Triagem de Animais Silvestres (Cetas), em Fortaleza, além de outro no Cariri, com projeto quase finalizado, e a abertura de negociações com a Prefeitura de Fortaleza para construção de outro equipamento semelhante no Passaré. Artur Bruno, titular da Sema, lembrou que a ideia original da criação do Cientista Chefe Meio Ambiente foi da professora Oziléa Bezerra Menezes, do Labomar. “O Ceará é um Estado que valoriza a ciência. A prova disso é o Hub de Hidrogênio Verde lançado recentemente pelo governador Camilo Santana”. Bruno citou outros projetos do Cientista Chefe como um centro de reabilitação de tartarugas marinhas, o Atlas Marinho e laçou um desafio: o Inventário da Flora do Ceará. InventárioO Inventário da Fauna é uma iniciativa inovadora, no âmbito do Estado do Ceará e Nordeste, feita por pesquisadores da Universidade Estadual do Ceará (Uece), Universidade Federal do Ceará (UECE) e Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos (Aquasis). Compila informações provenientes de trabalhos de campo, coleções e publicações científicas. Os dados estarão disponíveis no site da Sema com livre acesso e serão atualizados, online, pelos pesquisadores, à medida que ocorram novos registros de espécies. A ideia é que o inventário auxilie na elaboração de políticas públicas para a conservação da biodiversidade, estudos de biotecnologia e avaliação de impactos ambientais para empreendimentos. O Cientista Chefe é um programa do Governo do Estado do Ceará, criado na atual gestão da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), com o desejo de aliar a produção científica acadêmica com as necessidades do setor público, e, desta forma, proporcionar mais qualidade de vida para a população cearense. FONTE: https://www.ceara.gov.br/2021/02/26/inventario-da-fauna-cearense-lista-1-287-especies-em-todo-o-estado/

Espírito Santo participa de Encontro dos Governadores pelo Clima - SEAMA

Nesta quinta-feira (25), governadores e representantes de 11 estados brasileiros, além da Alemanha, da União Europeia e de especialistas do setor elétrico se reuniram, remotamente, dando seguimento a uma pauta dos Governadores pelo Clima. O objetivo do encontro é construir uma agenda integrada para o desenvolvimento inclusivo e sustentável do semiárido brasileiro, envolvendo eixos como Energias Renováveis, Hidrogênio Verde, Regeneração do Rio São Francisco, Capacitação, Empregos e Inclusão Sociocultural. O governador do Estado, Renato Casagrande, representou os estados que compõem o perímetro do semiárido brasileiro e destacou a iniciativa dos governadores na junção de responsabilidades pela mitigação e adaptação dos impactos das mudanças climáticas no Brasil. "Gostaria de agradecer o convite para que eu possa falar um pouco sobre a atuação dos governadores sobre o tema, que é tão relevante. Temos uma posição negacionista do Governo Federal e precisamos compensar com ações nos Estados. Não é uma crítica, mas uma constatação. Cada governador, dos que estão assinando essa adesão, está construindo seu plano. Aqui no Espírito Santo, onde governo pela segunda vez, começamos a estabelecer esse plano ainda na minha primeira gestão, com o programa Reflorestar sendo referência no Brasil e no mundo.” Ainda sobre os esforços empregados pelo Espírito Santo na preservação ambiental e desenvolvimento de uma economia sustentável, Casagrande prosseguiu: “também estamos trabalhando com política de energia sustentável, por meio do programa gerar e também com um projeto de lei de incentivo a energia solar. Estamos realizando uma PPP para que possamos contribuir produzindo nossa própria energia no governo e economizando recursos. Nessa quarta-feira, montamos um grupo de trabalho para focar na economia verde e irmos nesse caminho. Temos o Fórum Capixaba de Mudanças Climáticas, e com um trabalho constante, vamos envolver os municípios para que todos tenham um plano ambiental.” Em um primeiro momento de apresentações técnicas, especialistas do Instituto Climas e Sociedade (iCS), do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) destacaram seus respectivos estudos sobre fontes renováveis da matriz energética, principalmente a eólica e a solar, para toda região Nordeste, contextualizando o potencial já existente e projetando os investimentos tecnológicos do setor na região, bem como os cenários positivos deste mercado de trabalho, possibilitando a geração de 57,9 mil empregos diretos e indiretos no setor eólico na região até 2030. Iniciativas estrangeiras também foram apresentadas no encontro. A representante da embaixada alemã, Annette Windmeisser, destacou o esforço do seu país em se debruçar sobre novos processos de descarbonização e em projetos de estímulo ao hidrogênio verde. De acordo com a representante, a Alemanha vai investir mais de dois bilhões de euros nos próximos anos em parcerias internacionais na geração de energia limpa e de baixo custo e o Brasil está no radar do país. O secretário de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Fabricio Machado, ressaltou o movimento de integração do Governo do Estado com os municípios capixabas para o fortalecimento interno viabilizando a elaboração e implementação dos planos municipais de mudanças climáticas. “Estamos construindo algumas ações que vão ajudar a fortalecer os municípios capixabas em suas gestões ambientais e, em março deste ano, teremos 100% dos municípios respondendo pelos seus próprios licenciamentos ambientais e também na efetivação dos planos municipais de mudanças climáticas. Estes planos vão contribuir diretamente no desenvolvimento da economia de baixo carbono em todo o Estado, que vão ajudar no processo de desenvolvimento sustentável”, disse o secretário. O encontro dos Governadores pelo Clima foi organizado pelo Centro Brasil no Clima (CBC) e contou com a presença de secretários estaduais e representantes dos 11 estados participantes; além do representante da Delegação da União Europeia no Brasil, Ignácio Asenjo. FONTE: https://www.es.gov.br/Noticia/espirito-santo-participa-de-encontro-dos-governadores-pelo-clima

Governadores pelo Clima discutem soluções socioeconômicas e ambientais para o semiárido - SEMA/BA

O secretário do Meio Ambiente da Bahia, João Carlos Oliveira participou na tarde desta quinta-feira (25) do evento “Governadores pelo Clima - Construindo soluções interconectadas para o semiárido”, promovido pelo Centro Brasil no Clima (CBC) e o Instituto Clima e Sociedade (ICS) e coordenado pelo ex-secretário do Meio Ambiente de Pernambuco e articulador do CBC, Sérgio Xavier. O encontro faz parte da agenda do Programa Governadores Pelo Clima e contou com a presença de 11 secretários estaduais do Meio Ambiente, representantes da Alemanha, União Europeia e especialistas do setor elétrico. Os chefes de estado discutiram um plano de ações para o desenvolvimento de uma economia de baixo carbono no semiárido brasileiro que conecta Energias Renováveis, Regeneração do Rio São Francisco, Oportunidades de Produção do Hidrogênio Verde, Capacitação e Geração de Empregos.  O secretário João Carlos Oliveira ressaltou o papel de destaque que a Bahia ocupa na geração de energias eólica e solar fotovoltática. “Por dois anos consecutivos a Bahia se manteve como líder nacional na geração de energia por fontes renováveis. Em 2020, a Bahia gerou 32% de toda energia solar do país, e 29,5% da energia eólica nacional. Desde o ano passado, o estado tem investido na ampliação de energias renováveis com outros tipos de energias limpas, como a biomassa e o biogás. Portanto, nada mais natural, que outras tecnologias possam ser incorporadas à sua matriz energética, como o hidrogênio verde”, afirmou.    O hidrogênio verde é um combustível com alto potencial de uso na geração de energia. O termo é utilizado para se referir ao hidrogênio obtido a partir de fontes renováveis, em um processo no qual não haja emissão de carbono. Este método utiliza a corrente elétrica produzida por energias renováveis, geralmente eólica ou solar, para separar o hidrogênio do oxigênio que existe na água. Como a região Nordeste, em especial a Bahia, é líder na produção de renováveis, possui alto potencial de expansão dessas fontes localizadas no semiárido brasileiro, com localização e infraestrutura portuária privilegiada, que facilita a exportação. Para Annette Windmeisser, chefe da Cooperação para o Desenvolvimento Sustentável da Embaixada da Alemanha, o Brasil pode se tornar um player global na geração dessa fonte de energia. A Alemanha aposta no hidrogênio verde para descarbonizar a indústria química, de cimento e siderúrgica. O país quer se tornar fornecedor mundial de tecnologias verdes a hidrogênio terá que importar o combustível de outros países, que produzam com base renovável, como o Nordeste brasileiro. FONTE: http://www.meioambiente.ba.gov.br/2021/02/12142/Governadores-pelo-Clima-discutem-solucoes-socioeconomicas-e-ambientais-para-o-semiarido.html

Presidente da Abema recebe representante do MMA para discutir criação de animais silvestres

Os parâmetros técnicos para que espécies de animais silvestres possam ser criados em cativeiro foi tema da reunião entre a presidente da Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Meio Ambiente (Abema), e secretária de Meio Ambiente de Mato Grosso, Mauren Lazzaretti, e o representante do Ministério do Meio Ambiente, Olivaldi Azevedo, nesta segunda-feira (22), na sede da Sema-MT. Conforme a presidente da Abema, a chamada "lista pet" está sendo discutida pela Câmara Técnica de Biodiversidade do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), com o objetivo de firmar o entendimento das espécies nativas da fauna brasileira e poderão ser mantidos em criadouros no futuro. "O tema está em discussão também pelo grupo de trabalho da Abema para que possamos fazer o amadurecimento técnico da proposta com especialistas, e os secretários de Meio Ambiente dos Estados. Tratar desse assunto com outras instituições é fundamental para que possamos alinhar o entendimento sobre o que é mais adequado para os animais, e para a conservação das espécies para o futuro", explica a presidente. Para o representante do MMA, a possibilidade de as pessoas poderem possuir em suas casas espécies da fauna silvestre de forma legal, para fins de estimação, encontra fundamento numa estratégia de conservação biológica reconhecida mundialmente. Ademais, é uma estratégia para o combate ao tráfico de animais da fauna brasileira. "Esta é uma das estratégias mundiais de conservação ex situ, ou seja, a criação fora do habitat natural, de forma comercial, para uso científico, até como forma de reposição no futuro. Todo criador comercial tem como obrigação fornecer exemplares para que sejam utilizados no processo de conservação, se necessário", conta. Para garantir ainda a redução dos crimes contra a fauna, e a segurança jurídica aos órgãos de fiscalização e aos criadores de animais, está em pauta a uniformização dos procedimentos técnicos entre os Estados A Abema é uma associação civil de direito privado, sem fins econômicos. Legítima representante dos órgãos estaduais de meio ambiente, presente nos 26 Estados e no Distrito Federal, reúne as 26 secretarias de estado e 22 autarquias e fundações, responsáveis pela implementação da política ambiental, e que juntos, concentram boa parte das responsabilidades pelas políticas públicas de meio ambiente do Brasil. LOCAL: http://www.sema.mt.gov.br/site/index.php/sema/noticias/5379-presidente-da-abema-recebe-representante-do-mma-para-discutir-criação-de-animais-silvestres

Informativo - Sema/AC - Janeiro de 2021

FONTE: https://agencia.ac.gov.br

Programa Água Doce é apresentado às novas gestões municipais - SEMA/BA

A Secretaria do Meio Ambiente (Sema) deu mais um passo importante para o fortalecimento do Programa Água Doce (PAD) no estado. A equipe que coordena o PAD apresentou nesta terça-feira (09) o andamento do programa às novas gestões municipais dos 55 municípios contemplados com 295 sistemas de dessalinização. Na ocasião, foram detalhadas informações sobre o acordo de gestão e a parceria com as prefeituras e comunidades para a manutenção e sustentabilidade dos equipamentos. A Bahia conta com o investimento de R$ 74 milhões, o que garante água de qualidade para 70 mil pessoas. "É importante que os gestores tenham conhecimento da importância do PAD como uma política pública permanente de acesso à água de qualidade para o consumo humano, que incorpora cuidados técnicos, ambientais e sociais. Essa parceria precisa ser fortalecida junto com as prefeituras e o apoio das comunidades, dos agentes de saúde e professores, para termos uma efetividade do programa independente de qualquer gestão municipal", destacou o secretário estadual do Meio Ambiente, João Carlos Oliveira. Para o diretor-geral da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), Wilson Dias, a parceria com a Sema fortalece ainda mais o comprometimento do Governo do Estado com o sucesso do programa no semiárido baiano. "Acreditamos que o nosso maior desafio é manter os sistemas de dessalinização ativos e funcionando. E para isso, precisamos da parceria das prefeituras e do grupo gestor do equipamento para a sustentabilidade descentralizada da gestão ", pontuou. Na elaboração do acordo de gestão do dessalinizador são definidas as regras dos sistemas, tais como definição e deveres dos operadores, horário de funcionamento, responsabilidades da prefeitura, taxa de contribuição para a retirada da água e como a comunidade vai monitorar o cumprimento do acordo. Segundo a coordenadora estadual do PAD, Luciana Santa Rita, o termo de gestão é assinado pelos poderes públicos federal, estadual e municipal, e pelo representante da comunidade beneficiada. “A gestão compartilhada é fundamental para a resolução de conflito, permitindo repactuações do acordo de gestão sempre que necessário para o bom funcionamento do sistema" explicou.  "O papel do operador é fundamental para o desempenho do sistema. Se o operador não tiver devidamente capacitado, o funcionamento do equipamento fica comprometido", disse o superintendente de Políticas e Planejamento Ambiental (SPA) da Sema, Claudemir Nonato, destacando também que o programa já conta com mais de 300 pessoas capacitadas. A Sema também irá disponibilizar um reforço do curso de operador através da plataforma Formar, em data ainda a ser divulgada. Ainda estava presente na reunião o diretor de Política e Planejamento Ambiental da Sema, Aderbal de Castro.  "A parceria que firmamos com a Sema proporciona qualidade de vida para as comunidades, por meio do consumo de uma água potável", afirmou o secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente do município de Candiba, Lucivaldo Neves. De acordo com o gestor municipal, no aspecto da saúde, os resultados positivos são percebidos pelo número decrescente de crianças com doenças relacionadas ao consumo de água sem tratamento.  O Água Doce é coordenado na Bahia pela Sema e tem a Companhia de Engenharia Hídrica e Saneamento da Bahia (CERB) como unidade executora, a CAR como unidade prestadora de serviços de manutenção e monitoramento, e o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia (Inema) como parceiro.   FONTE: http://www.meioambiente.ba.gov.br/2021/02/12138/Programa-Agua-Doce-e-apresentado-as-novas-gestoes-municipais.html

NOTA DE PESAR

A Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Meio Ambiente (Abema), lamenta a imensa e brusca perda para todos nós com o falecimento do Eugênio Spengler, amigo e grande personalidade na pauta ambiental. Eugênio foi presidente da Abema de março/2015 a janeiro/2017, período em que contribuiu incansavelmente, não somente para o fortalecimento da Associação, mas da política ambiental brasileira.   Fará muita falta.   Nossa solidariedade à família e amigos. Mauren Lazzaretti - Presidente   Eugênio Spengler, bacharel em Filosofia.  Entre os anos de 2003 e 2007, trabalhou no Ministério do Meio Ambiente (MMA), como coordenador executivo da I e II Conferência Nacional do Meio Ambiente. No MMA também foi responsável pela implementação das comissões técnicas tripartites estaduais e promoção do Programa de Capacitação de Gestores Municipais de Meio Ambiente.  Também atuou como gerente regional da Fundação Estadual de Proteção Ambiental do Estado do Rio Grande do Sul, coordenador da Assessoria Técnica da Secretaria Estadual do Meio Ambiente do Estado do Rio Grande do Sul, secretário de Planejamento e Meio Ambiente do Município de Santo Cristo (RS) e professor de Saneamento Ambiental pela Universidade de Ijuí (RS). Na Bahia, Spengler também foi consultor técnico das secretarias estaduais da Casa Civil, da Indústria, Comércio e Mineração, além de Secretário de Estado do Meio ambiente - Sema. Foi presidente da Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Meio Ambiente – Abema, de março/2015 a janeiro/2017.  Atualmente estava trabalhando como consultor em Goiânia. 

Semace (Ceará) lança novo sistema que otimiza acesso à informações da Taxa de Controle e Fiscalização Ambiental -

A Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) lança nesta terça-feira (02/02) o novo sistema da Taxa de Controle e Fiscalização Ambiental do Estado do Ceará (TCFACE), contribuição referente ao cadastro técnico estadual de atividades potencialmente poluidoras ou utilizadoras de recursos ambientais. Agora, o sistema passa a ser automático. O novo sistema é fruto de uma parceria das diretorias Administrativo e Financeira (Diafi) e de Tecnologia da Informação e Comunicação (Ditec). “A Semace evoluiu bastante com a criação da ferramenta, que tem como intuito facilitar o acesso dos devedores, na geração de Documento de Arrecadação Estadual (DAE), dentre outros serviços relacionados à TCFACE. É uma forma de deixar mais transparente as informações sobre os débitos dos interessados”, informa o diretor da Ditec, Tiago Bessa. Outros benefícios do novo sistema são o ganho de produtividade e otimização das atividades exercidas pela Diafi no que se refere à taxa, conforme aponta o gestor da Ditec. O contribuinte receberá um e-mail com as informações referentes aos anos inadimplentes relativos à TCFACE. Após ciência, o interessado pode ter acesso ao novo sistema entrando com login e uma senha no sistema online da autarquia, o Natuur, onde será feita a geração do DAE. Na ocasião, a Ditec criou um banner virtual, disponível em Consulta Rápida do site da Semace, localizado ao lado direito. A TCFACE consiste numa obrigação monetária instituída pela Lei Estadual 15.093/2011, e alterada pela Lei Estadual 16.444/2017. A taxa é direcionada a todas as pessoas físicas ou jurídicas que exerçam as atividades mencionadas no art. 1º e descritas no Anexo I da referida Lei. O tributo é definido pelo cruzamento do grau de potencial poluidor e de utilização de recurso ambiental com o porte do estabelecimento. Caso o estabelecimento exerça mais de uma atividade sujeita à fiscalização, será devida a taxa de valor mais elevado, relativamente a apenas uma das atividades (a de maior impacto). A Semace e o Ibama atuam de forma integrada na gestão do Cadastro Técnico Estadual de Atividades Potencialmente Poluidoras (CTE/APP) e na compensação do valor devido a título de TCFACE, conforme o Acordo de Cooperação Técnica nº 12/2012. Pagamento da taxa Durante o ano vigente o pagamento poderá ser efetuado por meio da Guia de Recolhimento Única-GRU, no endereço eletrônico do Ibama. Caso o pagamento da taxa não seja efetuado no próprio exercício, o contribuinte deverá solicitar à Semace, nos canais de atendimento, o DAE com o valor atualizado do débito. Após a quitação do DAE o interessado comparecerá ao IBAMA munido dos comprovantes originais de pagamentos para solicitar a devida compensação. Canais de atendimento para tratar sobre TCFACE na SemaceTel.: 0800 275 22 33E–mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. document.getElementById('cloak1c924dd2b376155ec59b72d6a9476a8a').innerHTML = ''; var prefix = 'ma' + 'il' + 'to'; var path = 'hr' + 'ef' + '='; var addy1c924dd2b376155ec59b72d6a9476a8a = 'atendimento.tcfa' + '@'; addy1c924dd2b376155ec59b72d6a9476a8a = addy1c924dd2b376155ec59b72d6a9476a8a + 'semace' + '.' + 'ce' + '.' + 'gov' + '.' + 'br'; var addy_text1c924dd2b376155ec59b72d6a9476a8a = 'atendimento.tcfa' + '@' + 'semace' + '.' + 'ce' + '.' + 'gov' + '.' + 'br';document.getElementById('cloak1c924dd2b376155ec59b72d6a9476a8a').innerHTML += ''+addy_text1c924dd2b376155ec59b72d6a9476a8a+''; Canal de atendimento para tratar de TCFA no IbamaTel.: 0800 61 8080 Vencimentos trimestrais O pagamento da TCFACE se torna devido no último dia útil de cada trimestre do ano civil, nos valores fixados no Anexo II da Lei Estadual 15.093/2011 alterada pela Lei Estadual 16.444/2017, e recolhida até o terceiro dia útil do mês subsequente, sob pena de multa e juros por atraso no pagamento. 1º Trimestre (de janeiro a março) – 3º dia útil de Abril;2º Trimestre (de abril a junho) – 3º dia útil de Julho;3º Trimestre (de julho a setembro) – 3º dia útil de Outubro; e4º Trimestre (de outubro a dezembro) – 3º dia útil de Janeiro do ano seguinte Arrecadação Mesmo com as dificuldades enfrentadas pela pandemia, em 2020, a arrecadação da TCFACE foi de 83% (Oitenta e três) quando comparado com o exercício de 2019. “Isso se deve ao empenho, compromisso e transparência dos colaboradores responsáveis pela TCFACE na Diafi, no que se refere à orientação e esclarecimentos aos contribuintes desde a Legislação até a emissão do DAE”, informa a gerente financeira da Semace, Ana Paula Lima. FONTE: https://www.semace.ce.gov.br/2021/02/01/semace-lanca-novo-sistema-que-otimiza-acesso-a-informacoes-da-taxa-de-controle-e-fiscalizacao-ambiental/

Pará reduz 90% do desmatamento em janeiro em relação a mesmo período de 2020 - SEMAS

Entre as ações de destaque, estão as operações da Força Estadual de Combate ao Desmatamento e as estratégias do Plano Amazônia Agora

A Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Meio Ambiente é uma associação civil de direito privado, sem fins lucrativos que representa os órgãos estaduais de meio ambiente.

Contato

SHS Quadra 6, Conjunto A, Bloco E, Sala 513 Ed. Brasil 21, Asa Sul, Brasília-DF, CEP: 70316-100
Tel.: (61) 3045-4334 / (61) 3045-4335
abema@abema.org.br

Menu