IEMA-ES assina contrato para reduzir emissão de poluentes na Região Metropolitana de Vitória

14 de novembro de 2017

Espírito Santo – O Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (IEMA) assinou, nesta segunda-feira (13), contrato com a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB), às 15h00 horas, no auditório da Secretaria de Estado da Fazenda (SEFAZ), na Praia do Suá, em Vitória. A CETESB desenvolverá projeto de análise técnica que visa propor um conjunto de medidas para redução das taxas de emissão de poluentes atmosféricos do Complexo de Tubarão. O objetivo é alcançar meta comum de melhoria da gestão atmosférica da Região Metropolitana da Grande Vitória.

O secretário de Estado de Meio Ambiente do Espírito Santo, Aladim Cerqueira, informa que a grande Vitória tem o complexo de Tubarão, que envolve uma área de mineração, da Vale, porto de Tubarão e o complexo siderúrgico que é da ArcelorMittal Tubarão.

Segundo Aladim Cerqueira, tem sido muito demandado pela Grande Vitória, que se solucione o problema da poeira sedimentável. A cidade tem outras fontes, mas a poeira é originária, do ponto de vista das indústrias, do complexo de Tubarão, responsável por mais de 85% das emissões. “A população tem reclamado da poeira na cidade. E nós, órgão ambiental do Estado do Espírito Santo, temos, ao longo do tempo, desenvolvido diversas medidas de exigências às empresas para que melhorem os controles ambientais”, enfatizou.

Compromisso

Aladim Cerqueira lembra que houve um diálogo intenso que foi coordenado pelos ministérios públicos estadual e federal. Em continuidade, foi estabelecido um termo de compromisso para que houvesse a vistoria e análise das emissões pela CETESB. Assim, ela foi contratada pelo IEMA para montar uma parceria na qual a CETESB realizará vistoria e analisará todas as emissões do Complexo de Tubarão.

De acordo com Aladim, serão avaliados ainda a tecnologia, os processos industriais, e a gestão ambiental. A CETESB também indicará quais as tecnologias mais avançadas no mundo para sugerir um plano de ação de redução da emissão dessa poeira.

“É um contrato de 180 meses, com primeiro relatório sendo gerado em quatro meses, ou seja, 120 dias. A partir dele, vamos ampliar o diálogo com as empresas para que a gente possa estabelecer um plano de metas de redução de emissões na Grande Vitória”, explicou.

CETESB é referência

O secretário ressaltou a importância da experiência e expertise da CETESB trabalhando, com mais de 40 anos, no controle de emissões atmosféricas.

“Posso dizer que ela é órgão ambiental no Brasil mais avançado em relação à questão de conhecimento em poluição atmosférica. E para nós, Estado do Espírito Santo, é muito gratificante tê-la nessa parceria conosco. Gostaria muito de agradecer ao presidente da CETESB Carlos Roberto dos Santos e sua equipe, Maurício Hostim, e o secretário Maurício Brusadin por ter disponibilizado o Estado de São Paulo para essa parceria com nosso estado, que nós vamos ganhar muito”, complementou Aladim Cerqueira.

Aladim lembra que o Estado do Espírito Santo tem tido muita evolução e conhecimento em função de parcerias desenvolvidas com a CETESB. Ele destacou o fato de os órgãos envolvidos na assinatura do contrato integrar positivamente a Associação Brasileira de Entidades Estaduais do Meio Ambiente (ABEMA). “E, para a ABEMA é, sim, uma parceria importante”, finalizou o secretário.

A Diretora-Presidente do IEMA, Andreia Carvalho, afirmou que o contrato também prevê uma vasta transferência de conhecimento para os técnicos do IEMA. “A CETESB irá ministrar um treinamento para 15 técnicos do Instituto sobre o manuseio e interpretação de dados produzidos pelo sistema de monitoramento. Além disso, será incluído no treinamento, acompanhamento de duas campanhas de medição em campo”, afirmou Andreia.