ABEMA participa de audiência pública na Câmara dos Deputados para discutir a gestão dos zoológicos no Brasil

10 de agosto de 2017

Além dos zoológicos, deputados discutiram a necessidade de atualização da legislação para a gestão da fauna nativa do país.

O presidente da Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Meio Ambiente, Luiz Tarcísio Mossato Pinto participou, nessa terça-feira (8) de audiência pública Na Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados para debater o sucateamento dos zoológicos brasileiros e sua nova utilidade a favor da fauna nacional.

O objetivo do encontro foi discutir a atualização do conceito e da função dos zoológicos, visando o atendimento a necessidades atuais como tratamento de animais vítimas de tráfico, atropelamento ou queimaduras. De acordo com o deputado federal Marcelo Álvaro Antônio, que propôs o debate, os zoológicos devem passar a servir de apoio e referência no tratamento e cuidado com os animais, de forma a preservar e revitalizar a fauna nacional.

Para o presidente da Abema, para discutir a função dos zoológicos é necessário que se discuta toda a legislação a respeito da fauna nativa silvestre. “Nós precisamos pensar em melhorar os zoológicos para que eles possam fazer pesquisas, desenvolvimento e conservação das espécies. Por isso, é cada vez mais urgente e importante desenvolver políticas para incentivo à criação de Centros de Tratamento de Animais (CETAS) que devem se preocupar com a recuperação e reinserção dos animais na natureza”, destacou.

Ao final do debate ficou acordado que a Câmara dos Deputados deverá realizar novos eventos a fim de fundamentar a questão para propor a atualização das leis e normas ambientais para a gestão da fauna nativa silvestre do país.

CENÁRIO – De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Zoológicos e Aquários (SZB) que foram apresentados na ocasião, o Brasil possui 106 zoológicos e 17 aquários. Sendo a maioria mantida pelo poder público e que 81,03% dos zoológicos não cobram entradas e, conseqüentemente apresentam dificuldades financeiras.
Presenças – Também participaram da mesa de debate, Roberto Cabral Borges, Coordenador de Operações de Fiscalização da Diretoria de Proteção Ambiental do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Frank Alarcón, biólogo e sócio-fundador do Instituto Luisa Mell de Assistência aos Animais e ao Meio Ambiente, Claúdio Hermes Maass, Biólogo, Presidente da Sociedade Brasileira de Zoológicos e Aquários (SZB) e representante do Zoo Pomerode, e Beatriz Emilia Bartoly, advogada e Diretora de ensino, pesquisa e extensão da Associação Brasileira de Advogados (ABA).